Espírito Natalino

24 de dez de 2010


Então chegou o Natal, a data mais importante de uma dualidade de extremos. Numa das pontas, aquilo que motivou toda essa festa, o nascimento de Jesus Cristo – o Deus homem – há 2010 anos. E no outro extremo, temos que esse dia também representa o ponto máximo do capitalismo. Afinal, os donos de loja se aproveitaram da época em que todos estão mais generosos e disseminaram a ideia de que todos deveriam comprar presentes para os amigos próximos, namorados, filhos, pais, colegas de serviço e para quem mais seu dinheiro permitir. 

Com o crescimento desse conceito, que se tornou uma tradição, de comprar presentes, o verdadeiro sentido do Natal começou a se perder na cabeça das pessoas. E isso piorou ainda mais depois da criação da lenda de Papai Noel, que hoje em dia é, sobretudo, um excelente garoto propaganda. Esse personagem que passou a ser conhecido como um sujeito barbudo e rechonchudo usando vestes vermelhas é capaz de vender milhares de produtos, anunciar lojas, distribuir balas, estrelar filmes e principalmente tomar para si o espírito natalino.

As crianças – e os adultos - não compreendem o que significa essa data e alguns mal sabem do porquê de toda essa festa. O que importa é que o Papai Noel virá na véspera de 25 de dezembro e trará presentes àqueles que se comportaram bem durante o ano. E mesmo que tenha se comportado mal, receberá presente também, afinal, essa é a época em que todos gastam ganham alguma coisa.

A coisa é tão descambada, que é sabido, que o Natal é amplamente comemorado também por não-cristãos. Até porque muitos dos simbolismos modernos relacionados a essa data, vem de costumes que tem origens pré-cristãs ou seculares. Como é o caso da “Árvore de Natal”, por exemplo. Que tem procedência pagã, mas que depois foi adaptada ao cristianismo pelo monge beneditino São Bonifácio, no século XVIII.

Independente de enfeitar a casa com temas natalinos – que realmente deixam a casa bonita e te lembram que estamos nessa época – e de trocar presentes, é preciso entender e relembrar o que essa data significa, de verdade. É tempo de pensar nos caminhos por onde sua vida está passando e analisar se são as estradas corretas. Lembrar-se de como foi a vida daquele que veio ao mundo para nos ensinar e comparar nossas vidas com a dele, e assim, tentar tomar decisões que possam nos assemelhar com Ele.

Então, curta o Natal, ouça as músicas com esse tema, decore sua casa, troque presentes com os próximos, mas não deixe que o espirito do capitalismo tome conta de você e nem se renda aos ensinamentos da mídia, em vez disso, lembre-se do real sentido disso tudo, daquilo que de fato importa e gera esse clima de paz. É tempo de esperança e de propagar o amor ao próximo.

Um ótimo Natal a todos - independente de crenças, religião ou qualquer coisa – esse é o desejo sincero do CAFÉ COM ÓCIO. 


0 comentários:

Postar um comentário

 
Café com Ócio | by TNB ©2010