Mais do que Bullying

15 de abr de 2011



Não tem como ser diferente, o assunto pautado em todo quanto é tipo de veículo de comunicação e também em debates corriqueiros do dia-dia é a chacina que aconteceu em Realengo, no Rio de Janeiro. Dispensável dar maiores detalhes sobre o crime, pois, todos já estão fartos deles. Mas, obviamente o CAFÉ COM ÓCIO não vai deixar este trágico acontecimento passar em branco.

Grande parte da mídia culpa única e exclusivamente o chamado bullying, que tenho certeza é parte do problema, mas seria leviano atribuir a atitude do assassino somente a isso. Uma vez que existe uma série de fatores contribuintes e decisivos, em minha opinião.

Primeiro, ele tinha sérios distúrbios mentais, tanto que era tratado com medicamentos controlados, os famosos tarjas-pretas. Esse problema, provavelmente foi uma herança genética de sua mãe biológica que sofria de esquizofrenia. Essa sua mãe, por causa da doença que tinha era interna de um hospital psiquiátrico. E foi lá que ela deu a luz à Wellington, em uma gravidez ocasionada por um estupro, vítima de outro interno. Já deu pra sentir o drama, né? A origem do rapaz é muito soturna e o buraco é muito mais fundo que maus tratos escolares.

Segundo as informações disponibilizadas na mídia, Wellington Menezes, que foi adotado, também perdeu sua mãe de criação há alguns anos e pelo que parece, desde então deixou seu tratamento de lado. Outro fato importante. Com sua doença descontrolada, pode ser que nem sempre ele era senhor de seus atos ou que enxergava o mundo de uma maneira diferenciada, não só por ideologia, mas por problemas psiquiátricos. Além disso, após a morte dos pais (o pai adotivo também já havia falecido), Wellington passou a morar sozinho, por opção ou abandono dos irmãos e outros parentes, não se sabe ao certo.

Agora, tente imaginar um rapaz com problemas mentais, desempregado e morando sozinho (sem família, sem amigos). Completamente abandonado e ainda por cima, com seu tratamento interrompido. Junte a isso, todos os traumas citados anteriormente: mãe violentada, morte dos pais, bullying e uma total indiferença da sociedade. O resultado não poderia ser bom. 

Trancado e isolado em sua casa, Wellington provou dos mais intensos sentimentos de raiva e vingança. Raiva contra o sistema que o deixou à margem do mundo, vingança desajustada contra todos, aflorada por devaneios religiosos mal interpretados. O rapaz não tentou se reerguer perante o mundo, ao contrário, se aprisionou a todo tipo de sofrimento pelo qual passou na vida e dentro da sua mente doentia, rebelou-se violenta e tragicamente. E o pior, ainda fez isso contra pessoas inocentes, mas, de uma forma que fizesse sua mente deturpada achasse que era a coisa certa e a causa nobre, a favor de uma minoria na qual ele se encaixava. E assim, tornar-se um herói contra os repressores. Obviamente, como todos sabem, o efeito foi o oposto extremo.

Com tudo isso posto, é impossível dizer que foi só o bullying. Pois, não foi. Há uma gama enorme de coisas, das quais o bullying, o desrespeito e a marginalidade social fazem parte, mas não são o todo. Neste caso a causa é muito mais social do que qualquer outra coisa e tudo começou com o cruel crime contra sua mãe lá no hospital.

As pessoas e a mídia, principalmente, precisam aprender e entender que nem todo o mal do mundo é causado por jogos de videogame, RPG, Rock e o agora atual “culpado de tudo”, o bullying. Afinal, quantas pessoas já não sofreram com a maldade de outras crianças e estão aí, firme e forte. É claro que sou contra esse tipo de coisa, mas ele sozinho não pode ser a causa de tudo que acontece de errado e muito menos o fator essencial que leva um serial-killer de mente perturbada a cometer seus crimes.

Obviamente que nada disso tira a culpa de Wellington Menezes, que deve ser punido por seu ato repudiante e extremamente cruel de tirar a vida de inocentes e destruir famílias e causar traumas profundos. Isso acontecerá nesse ou noutro mundo. Mas acontecerá e será merecido!



Mais atualidades:
BBB (Pedro Bial, seu brincalhão)
Viva o Carnaval (Fuja para as Colinas)

Por que as Coisas São Tão Caras no Brasil?

2 comentários:

Paulinha disse...

Só Deus pode julgar o grau de consciência desse ser a ponto de ter feito o q fez. Na minha opinião, um louco.
Talvez se tivesse mais apoio dos irmãos, não teria chegado ao ponto que chegou. Era um doido varrido, sozinho, dentro da casa dele. Nutrindo a sua própria loucura...o final só poderia ser trágico mesmo.

Raul disse...

Acho que há muito exagero nessa questão de bullying. Pegam um problema cultural vindo de fora e tentam ficar forçando para parecer que aqui acontece a mesma coisa. Bullying é um problema cultural dos Estados Unidos, que tem uma estrutura social consideravelmente diferente em relação a nossa.

Estou dizendo que aqui não existe bullying? Não, mas também não da pra ficar tratando a coisa aqui do mesmo jeito que se trata por lá. São pessoas com mentalidades diferentes, são sociedades diferentes.

Postar um comentário

 
Café com Ócio | by TNB ©2010